SUA EMPRESA AQUI

ESCREVER....

EM ANDAMENTO

ESCREVER...

EM ANDAMENTO

ESCREVER...

EM ANDAMENTO

ESCREVER...

quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Governo anunciará investimentos em Xapuri



O governador Tião Viana estará em Xapuri nesta sexta-feira (1) para anunciar investimentos do governo do Estado no município em várias áreas de desenvolvimento: educação, saúde, produção, infraestrutura (pavimentação, saneamento, esgotamento e ramais), entre outras.

Tião Viana tem percorrido todos os municípios acreanos para apresentar aos novos prefeitos e vereadores, além das lideranças locais, um panorama de todos os investimentos que foram realizados no ano passado e os que serão executados este ano.
Raimari Cardoso

terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Câmara aprova aumento de 50% nos salários dos cargos comissionados da prefeitura




A matéria prometia gerar polêmica na sessão ordinária desta terça-feira (26), mas terminou sendo aprovada por unanimidade a proposta do Poder Executivo de reajustar em 50% os salários dos 69 cargos comissionados da prefeitura de Xapuri, que atualmente possui um quadro composto por 10 secretários, 22 diretores e 37 coordenadores.

Com a aprovação do reajuste, os secretários municipais - que tinham salários de R$ 2.200,00 -passarão a receber R$ 3.200,00. Os diretores - que recebiam R$ 1.400,00 - passarão a R$ 2.100,00. Já os salários dos coordenadores passarão dos atuais R$ 700,00 para R$ 1.050,00. O impacto do aumento na folha de pagamento será R$ 38.350,00.

O consenso dos vereadores na aprovação do reajuste se deu após o Sindicato dos Servidores Municipais de Xapuri (Semux) apresentar a planilha com os valores propostos pela categoria para a próxima data-base, que ocorre em maio. Segundo os vereadores Eliomar Soares (PT) e Celso Paraná (PMDB), a reivindicação dos funcionários não será afetada pela aprovação do reajuste dos salários dos cargos comissionados.

“Não teríamos como aprovar a proposta de reajuste dos salários dos cargos de comissão se houvesse risco dessa decisão comprometer a negociação com os servidores municipais. Havendo a garantia de que os trabalhadores não serão prejudicados também não temos razão para causar empecilhos ao reajuste dos ocupantes dos cargos de confiança”, disse Eliomar Soares.

“Discutimos muito a matéria é só a colocamos em votação depois de recebermos as informações do Semux sobre aquilo que os funcionários propõem para a próxima data-base. Aprovamos o reajuste de hoje certos de que a proposta dos servidores também será aprovada quando for posta em apreciação”, afirmou o vereador Celso Paraná, segundo-secretário da Câmara.

Os salários do prefeito, vice-prefeito e vereadores foram reajustados no fim da legislatura passada e ficaram numa média próxima aos 30% com relação aos vencimentos anteriores. Resta conhecer a proposta do Sindicato dos Servidores Municipais e a disposição da prefeitura em aceitá-la para se ter uma ideia de como ficarão aqueles que historicamente tem se contentado com a menor fatia do bolo. Ou seria a maior?

Raimairi Cardoso


O baixo salário, já  teria sido até o motivo da recusa de algumas pessoas chamadas para compor a equipe da prefeitura.  Só resta agora esperar a data base dos servidores municipais que é no mês de maio e esperar um aumento entre “30 e 50%” conforme aconteceu ao prefeito e cargos comissionados.
Os servidores municipais têm seus salários defasados apesar dos aumentos que tiveram nos últimosquatro anos, um exemplo são os professores que recebem o valor de R$ 1. 248,00 com nível superior, enquanto  o salário do magistério teve reajuste de  7,97% chegando ao valor de R$ 1.567 reais recomendados aos Estados  e municípios.  

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Início do ano letivo



quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

Marcio Bittar proíbe CQC da Band de gravar entrevistas na Câmara



Eleito primeiro-secretário da Câmara dos Deputados no último dia 4, o deputado federal tucano Márcio Bittar proibiu a reportagem do CQC, da Rede Bandeirantes de Televisão, de não gravar entrevistas no interior da Sede da Câmara dos Deputados, em Brasília. O apresentador do programa, o jornalista Marcelo Tas, informou por meio de sua página no facebook, que “ao contrário da tradição democrática da Câmara dos Deputados, hoje o CQC não foi ainda autorizado a gravar entrevistas em Brasília”.
De acordo com Tas, a equipe do CQC aguarda o pronunciamento de Márcio Bittar, que segundo a Banda, foi o responsável pela proibição.
Mais cedo, Márcio Bittar usou a sua página no facebook para dizer que estava participando de uma reunião com a Blogueira Cubana Yoani Sánchez, no Plenário 1 da Câmara dos deputados. De acordo com Bittar, o encontro foi fruto de uma “luta” dele e do também deputado Otáveio Leite, que como forma de desagravo e de demonstração de tolerância democrática que deve imperar no Brasil, recebeu a blogueira.
“Não podemos aceitar que a tropa de choque do PT e do PC do B rasguem a Constituição, ofendendo uma mulher que comete o único crime de defender a liberdade de expressão em Cuba”, disse Marcio.
Da redação ac24horas
Rio Branco, Acre

“Barulho de Igrejas” lidera lista de reclamações de poluição sonora em Rio Branco



Que o número de igrejas é superior ao de bares, isso todo mundo já sabia. Agora, o que pouca gente sabe, é que as cerimônias religiosas, sobretudo as evangélicas, superaram também as casas noturnas em barulho. Um assunto que vinha sendo tratado em silêncio veio à tona essa semana depois de declarações do líder do prefeito Marcus Viana na Câmara Municipal, vereador Gabriel Forneck (PT) durante debates sobre poluição sonora em Rio Branco.

A Secretaria do Meio Ambiente do município (SEMEIA) informou que são os vizinhos de igrejas quem mais denunciam a poluição sonora, principalmente, ao Ministério Público Estadual. De todas as ocorrências registradas, 30% são por causa do “pancadão do senhor” promovido pelas bandas no interior das Igrejas. No início desta semana, mais uma foi notificada pela SEMEIA: a Igreja Missões Cristo para as Nações (MCN), no Abraão Alab.

O vice-presidente da Associação de Pastores Evangélicos do Acre, Jucemir Bernadino, reconhece o problema, diz que a lei precisa ser cumprida, mas pede que seja feita a mesma justiça para bares e casas de festas.

Mas no caso das igrejas evangélicas, a diretora do controle ambiental da (SEMEIA), Marcia Oliveira, aponta para a resistência de pastores que se baseiam no artigo da Constituição Federal que trata o culto como um direito inviolável. Para estes pastores, os fiscais da prefeitura são classificados como “demônio” obstinação que tem levado o órgão a lacrar portas que deveriam ser meio para encontrar paz e tranquilidade. O assunto preocupa a associação de pastores.

“Não é por ai… muitas vezes nós colocamos uma culpa no demônio sendo que nós é que temos de estar polado de nossos direitos. Têm que se respeitarem as autoridades”, alerta Jucemir Bernadino.


Pastor Jucemir pede que bares e casas noturnas sejam fiscalizadas com o mesmo rigor

O excesso de queixas levou a secretária de meio ambiente, Silvia Brilhante, a procurar o setor jurídico da Prefeitura Municipal de Rio Branco na tentativa de buscar uma conscientização dos líderes religiosos e evitar que processos esbarrem na Justiça.

“O município tem sido tolerante em todos os casos, tanto de igrejas como de donos de bares. Ocorre que como o comércio é lucrativo, estes procuram se adequar rapidamente à lei 1.330/99. A dificuldade existe por parte de igrejas que tem pouca condição financeira”, detalhou Silvia.

Nem tudo é tão simples assim. Se adequar a lei ambiental para muitas igrejas significa pôr-a-mão no projeto moderno que mais arrebanha membros jovens para o mundo evangélico: as bandas. Diferente do tempo em que pastores tinham apenas um velho mega-fone ou uma bateria a pedal como “instrumento para livrar os jovens do pecado”, a evolução da música é responsável pelo novo movimento evangélico, conforme explicou o Pastor Jucemir. O que os religiosos não contavam é que o “pancadão do senhor” fosse responsável pela medição de decibéis acima do permitido na maioria das igrejas fiscalizadas em áreas residenciais.

“Temos que nos adequar com esse quesito poluição, precisamos principalmente de orientações técnicas, de ajuda. Uma contrapartida para ajudar as igrejas menos favorecidas. Isso traria mais ganhos para a sociedade”, concluiu o pastor.

A SEMEIA divulgou o número 3228 5765 para o oferecimento de denúncias. Em zonas residenciais o máximo de ruído permitido é de 45 decibéis para períodos noturnos. Após as 22 horas o ruído tem que ser zero.
Fonte: Ac24horas.com

terça-feira, 19 de fevereiro de 2013

Representando o povo



Na segunda sessão do ano do parlamento mirim de Xapuri vereadores da oposição cobraram da administração municipal atendimento médico nas unidades de saúde do município.
O vereador Francisco Barbosa de Aquino falou da sua posição enquanto oposição “Como é do conhecimento de quase todos, nós somos oposição a atual administração, mais quero todos cientes da nossa responsabilidade com a melhoria da qualidade de vida do nosso povo, em momento algum iremos dificultar os projetos que venham trazer beneficio ao nosso município” em sua rede social o vereador falou de sobre a oposição ter sido barrada na mesa diretora da casa “mais não tirarão da gente o nosso direito a voz as condições de fiscalizar, portanto, hoje em nossa segunda seção eu apresentei com apoio de minha bancada os seguintes pedidos de providencia de Nº 01/2013, QUE TRATA DA RETOMADA DO FUNCIONAMENTO DOS SERVIÇOS DO LABORATÓRIO, INSTALADO NO CENTRO DE SAÚDE DR. FELIX BESTENE, COM BASE NAS NECESSIDADES GRITANTES QUE SOFREM A NOSSA COMUNIDADE, EM ESPECIAL AS GRAVIDAS QUE HOJE NÃO SE FAZ SE QUER UMA TIPAGEM SANGUINIA, IMAGINE OUTROS EXAMES. JA O SEGUNDO Nº 02/2013 que trata da readequação das Equipes de Saúde da Família. Em visita realizada pela nossa bancada detectamos que todas as Equipes estão incompletas, ou seja, sem Médicos, Enfermeiros e o nº de Agentes Comunitário é insuficiente, falta ainda Material para realização de um simples curativo, não se observou naqueles setores um planejamento de Ações Básicas de Saúde”, Chiquinho Barbosa solicitou ainda a limpeza de ramais e a retomada de obras iniciadas pela administração anterior para que não venha a ter recursos devolvidos por falta de execução. 

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Deputados repudiam comportamento de bolivianos e pedem bloqueio de combustível



O parlamentar lembrou que a Bolívia é totalmente dependente de empréstimos e investimentos do governo brasileiro

Os deputados estaduais, sinalizando um protesto pacífico e repudiando o comportamento ingrato dos bolivianos com o povo brasileiro, sugeriram durante sessão na Assembleia Legislativa do Acre (Aleac) o bloqueio de carretas que levam combustível para Cobija, capital do Departamento de Pando.

Durante o debate dessa quinta-feira, 14, O deputado Moises Diniz lembrou que os deputados estaduais não têm prerrogativa para tomar nenhuma providência internacional, mas têm a prerrogativa de se indignar, de fechar estradas, de protestar.

O parlamentar lembrou que a Bolívia é totalmente dependente de empréstimos e investimentos do governo brasileiro, mas mesmo assim trata os brasileiros como se fossem seus inimigos de sangue.

O deputado Wherles Rocha (PSDB) também sugeriu o bloqueio da BR- 364, por onde passa carretas com combustível, como sinal de protesto aos bolivianos.

Para o oposicionista, os bolivianos são pessoas rancorosas e mal agradecidas porque dependem totalmente do Brasil e especialmente do Acre para chegar produtos como combustível para a sobrevivência.

“O que acho engraçado nisso tudo é que eles dependem mais da gente do que o contrário. As nossas estradas ficam quebradas com essas carretas que passam dentro das nossas estradas. Quando doentes, eles usam os nossos hospitais, medicamentos e em troca nos dão insegurança, provocam pânico e sofrimento”, argumentou.

Por esta razão, os parlamentares aprovaram uma comissão que realizará um relatório emergencial e entregará um requerimento em caráter de urgência para as autoridades de Brasília que tenham prerrogativa em foro internacional.
oriobranco.net

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2013

sábado, 2 de fevereiro de 2013

Xapuri será contemplada



Três cidades acreanas afetadas pela cheia de 2012 terão apoio do governo para construir casas
Os municípios afetados que foram afetados pelas cheias dos rios no ano passado terão o apoio do governo estadual para construir moradias. Os recursos são Fundo de Arrendamento Residencial (FAR), do Programa Minha Casa, Minha Vida, que vão viabilizar a construção das casas.

Segundo a Secretaria de Habitação, serão construídas 211 unidades habitacionais, sendo que dessas, 56 na cidade de Sena Madureira, 79 em Brasiléia e 76 em Xapuri.

“É importante que os gestores saibam os procedimentos que a prefeitura deverá adotar para que os recursos sejam liberados e que tudo dê certo. A Sehab irá acompanhar os mesmos em relação à documentação necessária para liberação do recurso pela União”, disse o secretário de Habitação, Aurélio Cruz.

Asas da Florestania realiza formatura em Xapuri



Implantado em 2005 em Xapuri, o programa Asas da Florestania iniciou atendendo  alunos do 6º ao 9º ano e em 2008 iniciou turmas para atender o nível médio.

Para professora Zilah Carvalho Matub de Oliveira  Diretora do Núcleo de Educação de Xapuri “foi um grande desafio a implantação do Asas da Florestania,  tínhamos a missão de superar todas as adversidades das distancias das comunidades, dos ramais, da falta de comunicação e das próprias estruturas físicas dos espaços de ensino da zona rural e levar professores capacitados e comprometidos em garantir a qualidade de ensino para essas pessoas”, a formatura contemplou 7 turmas  de várias comunidades num total de 90 alunos.
Bira Vasconcelos ex-prefeito de Xapuri foi o patrono das turmas, Bira falou de um dos seus maiores desafios enquanto prefeito, “um dos maiores desafios que tivemos foi de trazer oportunidade de estudo para nossa cidade, temos o Ifac que está de portas abertas para vocês, temos a UFAC, o Sedup e o Instituto Dom Moacyr”, garantir a manutenção e implantação destes órgãos em Xapuri  é o maior legado da administração de Bira Vasconcelos.
Para o Secretário  de Estado de Educação e Esporte  professor Daniel  Zen a realização desse projeto é a conclusão de um trabalho que começou a muitos anos  atrás quando o ex-governador  professor Binho Marques que esteve em xapuri na década de 80 e junto a outras pessoas como  Chico Mendes entravam mata a dentro com a missão de ensinar os seringueiros a ler e escrever,  criando uma estrutura de ensino independente as secretarias municipal e estadual que não tinham políticas educacionais e marginalizavam os seringueiros.  No governo de Jorge Viana o Acre viveu uma nova fase de desenvolvimento escolar onde o ensino começou a chegar até as pessoas independentemente de onde elas estiverem e isso vem acontecendo até hoje contribuindo para a obtenção de melhores resultados a cada dia para a educação e para a melhoria de vida do povo do Acre. Neste ano foram formados 105 alunos no ensino médio na zona urbana e agora são mais 90 da zona rural e através dos órgãos educacionais instalados no município a continuação dos estudos só depende deles mesmos.

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Crise, cobranças e carnaval



O cenário econômico mundial é de crise e as projeções feitas por quem entende do assunto é de que - apesar do otimismo da presidente Dilma Rousseff - o cinto continue a apertar para a maioria dos mais de 5 mil municípios brasileiros, principalmente para aqueles que, donos de baixa arrecadação, são totalmente dependentes do Fundo de Participação dos Municípios (FPM).

As maiores dificuldades enfrentadas por muitos municípios do país, segundo os especialistas, se dão exatamente pela queda nos repasses do FPM, que teve na redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) uma das principais causas. O FPM é formado por 23,5% do Imposto de Renda e do IPI, que sofreu redução ou eliminação temporária das alíquotas para certos produtos, como automóveis e eletrodomésticos.

De acordo com dados do Ministério da Fazenda, a renúncia fiscal do IPI, em 2012, foi de R$ 7,1 bilhões. Com isso, o FPM sofreu um impacto negativo de 1,67 bilhões e os maiores prejudicados foram os municípios pequenos, como Xapuri, quem têm no FPM a mais importante das suas fontes de receita, quando não a única que possui impacto considerável sobre as despesas.

O modelo atual de distribuição do FPM se baseia na população de cada município, havendo uma espécie de piso para os que possuem poucos habitantes e um teto para os mais populosos. Os municípios médios e os de grande porte pouco sofreram com essa perda de receita, já que para eles o repasse não é tão significativo assim para o fechamento de suas contas.

De acordo com o que afirma o diretor da Seção Acre do Instituto Teotônio Vilela, Francisco Nazareno, em artigo publicado neste blog, o caldo engrossou e os prefeitos que acabaram de se eleger e a tomar posse nos cargos terão que “se virar nos 30” para não deixar que a vaca tome o caminho do brejo. E é exatamente isso o que está acontecendo em Xapuri, município administrado pela primeira vez pelo PSDB.

Dar conta da folha de pagamento e ainda cumprir com o dever de casa, que é manter a cidade minimamente arrumada, tem sido um desafio enorme para o novo prefeito, Marcinho Miranda, que logo no começo do mandato estabeleceu uma carência de 90 dias para que sua equipe comece a apresentar os primeiros resultados referentes àquilo que foi prometido em palanque.

As tarefas mais básicas estão oferecendo grandes dificuldades ao prefeito que foi eleito com a proposta genérica de fazer melhor que o antecessor. No entanto, o horizonte que se avista já não é tão azul quanto parecia antes da disputa eleitoral. Na verdade, a coisa está preta e requer uma combinação “pés no chão” com altas doses de moderação.

Já no primeiro mês de administração, Marcinho se viu acuado pelas reais condições financeiras do município. Reclamou da situação em que encontrou o maquinário da prefeitura e não conseguiu promover aquela conhecida movimentação de início de mandato. O começo da gestão do PSDB em Xapuri tem sido marcada pela monotonia e pela parcimônia.

Mas as previsões nada alvissareiras somadas à situação de penúria que o município já atravessa não serão suficientes para aplacar as cobranças que batem à porta e muito menos para abrandar o ímpeto da oposição política-partidária que, na maioria das vezes, não consegue, deliberadamente, separar razoabilidade de disputa pelo poder.  

O prefeito tem demonstrado uma enorme disposição de trabalho, e realmente transparece ser do tipo que deita tarde e cedo levanta. Mas tem sido cobrado por promessas imediatistas e vem sofrendo na pele os efeitos da faca de dois gumes que é o palanque eleitoral. Até mesmo quem lhe apoiou na eleição começa a lhe fazer cara ruim por uma série de razões.

Aqueles para quem a bandeira político-partidária que empunham não passa de moeda de troca já começaram o processo de “fritura” por causa do emprego que não veio ou em razão da simples constatação de que “o buraco é mais embaixo”. É a eterna concepção de que a prefeitura é uma espécie de loba capitolina sempre disposta a amamentar uma multidão de famintos.

Prefeito que assume o cargo na alternância de poder, como aconteceu em Xapuri, também se torna alvo de uma prática política tão antiga quanto condenável representada pela figura simbólica da pedra e da vitrine. Ora, o vidro alvo das pedradas será sempre o povo, historicamente massacrado pela falta de excelência na gestão pública.

A mais recente demonstração de pressão sobre a nova administração se deu depois do anúncio de que, em razão da crise, entre outros fatores, a prefeitura de Xapuri não realizaria o já tradicional carnaval de rua. De maneira imediata, protestos, críticas e até uma campanha contra a decisão do prefeito tomaram conta das redes sociais, principalmente o Facebook.

A cobrança foi tanta que a Secretaria de Cultura, cuja titular é a professora Elisângela Horácio, esposa do vice-prefeito Ailton Menezes, está fazendo das tripas coração para reunir apoio empresarial e realizar o carnaval, que acabou por ser anunciado pelo próprio prefeito, na última quarta-feira (30), revogando a decisão que havia tomado na semana anterior.

Não se sabe em que nível a realização do carnaval popular de Xapuri interferirá na situação de crise ou vice-versa. Mas é bem certo que as dificuldades que o município enfrentará em 2013 independerão de haver ou não folia na princesinha. Carnaval é uma festa que de uma maneira ou de outra sempre se realiza todos os anos, assim como tem se perpetuado nossa situação de crise e estagnação.
Raimari Cardoso
← Anterior Proxima → Página inicial