quarta-feira, 13 de julho de 2011

Herança maldita


Bira Vasconcelos quando assumiu o município em 2009 sabia das dificuldades que iria encontrar, mais certamente não sabia do tamanho da problemática. Negatividade em ministérios o que inviabiliza obtenção de recursos para o município, maquinário destruído, doado a fazendeiros, e até trator sendo leiloado por ex-assessores na capital. Prédios sucateados, condição de trabalho dos servidores precários, salários defasados, postos de saúde quase todos fechados e os poucos médicos contratados sem Registro no CRM, farmácia sem medicamentos, a cidade a mais de quatro meses sem coleta de lixo e uma escuridão sem tamanho quase 85% dos postes sem energia elétrica. Vou nem falar das ruas muitas intrafegáveis como a rua Pio Nazário em frente à casa de Chico Mendes. Desde 2009,  Bira Vasconcelos  vem lutando junto a Eletroacre para negociar uma divida de mais de R$ 1.500.000 (hum milhão e quinhentos mil reais)  em contas elétricas deixadas pela administração anterior. Alguns eventos da municipalidade chegaram a ser ameaçados de não acontecer devido as pendências. As contas foram negociadas e parceladas em mais de uma década e custa uma bagatela de mais de R$ 5.000,00 (cinco Mil reais) por mês aos cofres do município.  Na telefonia são mais de R$ 60.000,00 (sessenta mil) deixados em contas entre telefones fixos e celulares, hoje são poucas as secretarias que já conseguiram reaver uma linha fixa, secretários com celular quem tem é o seu particular. De 2009 para cá, já foram mais de 250 causas trabalhistas abertas contra a administração anterior, desrespeito com servidores, abusos de autoridade e indenizações.
Pergunto a você, você  sabia?
← Anterior Proxima → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário