terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Cruzar os braços, não.


Indiscutivelmente a situação de Xapuri depois dessa alagação é lastimável. Alguns dias de trabalho intenso na tentativa de minimizar o sofrimento de nossos irmãos que tiveram seus lares tomados pelas águas do rio Acre, alguns desmoronaram no pós-cheia, outros definitivamente comprometidos, hoje interditados pela defesa civil. Quem viu certamente não se esquecerá.
No entanto, a solidariedade dos verdadeiros xapurienses, centenas de pessoas que arregaçaram as mangas e, principalmente, as calças, saias, bermudas foi fator primordial na parceria com os corajosos funcionários da prefeitura que antes dos bombeiros, polícia militar, exército e defesa civil se arriscaram dedicando seu tempo integral na ajuda humanitária. Esse trabalho anterior ao qual me refiro foi decisivo pra diminuir a aflição das mais de 100 famílias desabrigados e desalojados, acomodadas no ginásio de esportes, salão paroquial, pousadas e casas de parentes e amigos. Foi uma demonstração de AMOR dos verdadeiros xapurienses. Cometeria um equívoco se tentasse nominar todos esses verdadeiros xapurienses que em pelo menos um dia contribuíram nesse trabalho, porque não conseguiria, mas no fundo acredito que esse número de pessoas poderia ter sido maior, poderíamos ter aproveitado o feriadão do carnaval e contribuir em uma horinha, pelo menos, com nossos irmãos.
Mas a solidariedade não acaba na medida em que precisamos unir forças para o retorno das famílias às suas casas com a devida segurança. Lembrando que algumas não terão essa oportunidade devido à interdição de alguns imóveis e o desmoronamento de outros. Sabemos que já pagamos vários impostos e essa responsabilidade poderia ser exclusiva das diferentes esferas governamentais, mas acredito que pensar assim é endossar a burocracia brasileira, mesmo quando a situação é de emergência, esse país é lento. Logo, cruzar nossos braços é esquecer tudo o que foi feito nesse período, então seja realmente xapuriense e procure a prefeitura, defesa civil, pastoral familiar e outros órgãos que se mantêm dispostos à causa.
Faça suas doações: colchões, roupas, material de limpeza, higiene pessoal, etc...
Os verdadeiros xapurienses não podem cruzar os braços nesse momento, movam-se!
Nader Sarkis
← Anterior Proxima → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário