sexta-feira, 1 de junho de 2012

Artesãs de Xapuri recebem consultoria



A Consultora de Produto e Mercado da Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit), Geni Ribeiro, visitou na última quinta-feira, 31, o Núcleo Produtivo de Artesanato de Xapuri e conheceu de perto o trabalho manual das mulheres do município.
O objetivo da visita foi de iniciar uma análise das mais variadas formas de produção artesanal, realizar um estudo a fim de refinar o produto final e estabelecer política de valores justos das peças criadas pelas mulheres de Xapuri e também a possibilidade de novos produtos. A iniciativa da introdução da consultoria especializada em produtos e mercado foi da primeira-dama Marlúcia Cândida, numa parceria com a Secretaria de Turismo e Lazer, e a SEPMulheres.

Na visita ao município, Geni e a secretária de Turismo e Lazer, Ilmara Lima, visitaram o “Grupo Mãos de Mulher” e a Cooperativa das Mulheres Artesãs de Xapuri (Comax), criada pelo governo do Estado no ano passado. A consultora pôde conhecer as técnicas utilizadas, a matéria-prima e as artesãs.
Na cooperativa, Geni Ribeiro também pôde ouvir as artesãs e diagnosticar sobre os pontos a serem aperfeiçoados na maneira de como elas produzem suas peças, como expõem, e a possibilidade da criação de uma infinidade de produtos que ainda não fazem parte do cotidiano das mulheres artesãs. Tudo sem perder a essência da cultura acreana expressa em cada obra criada por elas.

A forma de avaliação de preços para cada produto também foi discutida entre as artesãs para que se aplique um valor justo para quem compra, bem como o lucro suficiente para sanar os custos com a matéria-prima.


O que chamou a atenção da consultora foi a forma de aproveitamento de madeira das serrarias e marcenarias do entorno - uma atividade sustentável - e das peças em biscuit, que utilizam massa de amido de milho, pó de serra e pigmentação natural feita com cinza, carvão, e outros corantes naturais, o que torna o produto muito mais singular.
Além de pequenos objetos, Geni também conheceu a produção têxtil das artesãs, como crochê, fuxico, bonecas e tudo que necessita da habilidade dessas mulheres com agulha, linha e máquinas de costura. “Precisamos fazer com que cada vez mais a atividade de artesanato se torne uma atividade frequente, num ritmo acelerado, e que passe a ser uma atividade econômica verdadeira, deixando de ser simplesmente terapia ocupacional, e o incentivo do governo com núcleos como o de Xapuri e outros”, ressaltou Geni.

A secretária de Turismo e Lazer, Ilmara Lima, lembrou que já está em andamento a criação de um Centro de Comercialização do Artesanato Acreano, que concentrará várias formas de artesanato. “Devemos trazer toda a produção do interior para a capital, onde uniremos o maior fluxo de turistas à conveniência de termos um local específico para a comercialização do nosso artesanato” explicou.

A secretária ressaltou ainda que a primeira-dama Marlúcia Cândida está engajada na produção artesanal e que não tem medido esforços junto à Setul e SEPMulheres para que elas tenham uma atenção especial.
← Anterior Proxima → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário