segunda-feira, 8 de abril de 2013

Durma-se com um barulho desses



Em uma NOTA DE REPÚDIO E ESCLARECIMENTO atribuída à AMAX – Associação dos Militares e Amigos de Xapuri - e à Polícia Militar, postada pelo sargento Elielson Oliveira, mais conhecido pela alcunha de “Neco”, em sua página do Facebook, sou xingado de MENTIROSO por afirmar neste blog que, “segundo a Polícia, a criminalidade vem aumentando em Xapuri em razão do funcionamento de bares no município”.

O responsável pela redação da nota enfatiza que a informação veiculada é FALSA e MENTIROSA, uma vez que a Policia Militar é uma instituição séria, que nunca levantaria falso em desfavor de qualquer comerciante ou trabalhador desta cidade. Segue, ipsis litteris, um trecho da nota: “Mentiroso a Policia já mais afirmou e/ou veiculou tal noticia, os relatos foram feito por única decisão e ainda esta utilizando o POLICIA, para sobressair-se da polêmica”.

Bem, o que eu afirmei no post anterior, intitulado A polêmica dos bares, foi que a PM de Xapuri joga contra os estabelecimentos que comercializam bebidas alcoólicas na cidade a responsabilidade pelo aumento das ocorrências de violência na zona urbana do município. Pode não haver grande diferença entre as duas afirmações, mas a que fiz reproduz fielmente a cantilena entoada como mantra pela PM de Xapuri nas últimas semanas.

Para começar, numa primeira nota postada no blog Xapuri Amax, no último dia 15 de março, sobre a denúncia de omissão feita contra a Polícia Militar no caso do assassinato de uma pessoa nas proximidades do Bar da Vivi, quando o autor, antes de perpetrar o crime, pediu ajuda de uma guarnição da PM para tomar providência quanto a uma agressão física que sofrera da vítima, não sendo atendido pelos militares, o comandante Sílvio Araújo diz:

“Os sábados e domingos da nossa cidade são os dias em que os picos de ocorrência são os mais elevados por vários fatores, sendo que um deles aparece em destaque: o consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Talvez as mídias locais e os cidadãos xapurienses não sabem (sic), mas no dia em que aconteceu o homicídio havia, em nossa cidade, 5 (cinco) pontos de festas dançantes e todos com consumo de bebidas alcoólicas, ou seja, nas condições em que a polícia militar encontra-se hoje, fazer segurança pública em todas as festas é impossível”.

Cinco dias depois, em 20 de março, uma nova postagem do blog Xapuri Amax trabalha dados estatísticos para explicar o porquê do aumento das ocorrências policiais. Seguem, numerados, seis trechos nos quais o blog da Associação dos Militares e Amigos de Xapuri deixa claro o que pensa da dinâmica das ocorrências policiais no município. Observem que em nenhum momento os textos admitem qualquer responsabilidade da polícia para com os problemas, mas apenas se referem ao consumo de bebidas alcoólicas, a quantidade de bares e festas.

1 - Xapuri é uma cidade que tem 116 pontos de venda de bebidas alcoólicas, incluindo-se nesse número: os bares, casas noturnas, comércios, distribuidoras e congêneres, ou seja, existe um ponto de venda de bebida alcoólica para cada 137 habitantes, aproximadamente. Percebe-se claramente que o número de locais que comercializam bebidas alcoólicas é exorbitante. Quando as autoridades tentam diminuir o número de pontos de vendas de bebidas alcoólicas ou pelo menos diminuir os seus horários de funcionamento são severamente criticados e crucificados.

2- Além disso, as festas dançantes em Xapuri começam na quinta-feira, seguindo até domingo. Não bastasse isso, o número de festas por dia aumentou consideravelmente após o fechamento, temporário, do Mirantes Bar. Para se ter um ideia, no sábado tem-se a realização de 6 festas: Bar Tropical (Forró da Vivi), Forró do Juvenal, Damião, The Club Paulista, Estilos Bar  e Sibéria. Todos esses locais comercializam bebida alcoólica e o consumo da substância é excessivo.

3 - Esse número elevado de festas em um mesmo dia, impossibilita que a polícia militar faça segurança pública em todos os locais pois como já foi dito, a segurança pública não deve ser restrita a locais de eventos dançantes em que o consumo de bebidas alcoólicas é o combustível da violência.


4 - Em 2012 foram atendidas 278 ocorrências em bares, casas noturnas ou em suas proximidades, ou seja, cerca de 22% de todas as ocorrências foram em locais de realização de festa ou suas proximidades. Se levarmos em conta apenas as ocorrências atendidas pela Polícia Militar, essa porcentagem salta para a casa dos 40%, número extremamente elevado para uma cidade pequena como Xapuri.
5 - Em relação aos fatores que motivam os crimes, percebe-se que a embriaguez aparece em destaque como fator motivador para cometimentos de delitos. Das 649 motivações registrada, 250, ou seja, 38,5% tiveram a embriaguez como fator motivador de cometimento de delitos. Portando, a embriaguez é comprovadamente o combustível da criminalidade.

6 - Como visto acima, ficou evidente que o consumo excessivo de substância alcoólica é o combustível para os mais diversos delitos. A oferta do produto é exacerbado e o número de festas em um único dia é exagerado.

O que resta para mim evidente é que os responsáveis por essa manifestação raivosa e sem sentido tergiversam sobre um assunto que deveriam tratar com decência e respeito por quem levanta os questionamentos que se originam nas reclamações da população. Poderiam fazer uma consulta sobre o grau de satisfação dos moradores de Xapuri com o trabalho que tem sido desenvolvido pela polícia nos últimos tempos.

Deveriam também, em vez de tentar intimidar quem trabalha com a informação através de comentários chinfrins através do Facebook e por intermédio de ações judiciais, fazer um exame de consciência e avaliar a maneira como estão desempenhando as funções pelas quais são pagos com os tributos do povão. Enfezar-se contra a opinião pública e contra os meios de comunicação apenas demostra fraqueza e despreparo em lidar com a função pública.

Jamais me arvorei a dono da verdade, até porque a única coisa de que tenho certeza, parafraseando o filósofo Sócrates, é de que nada sei. Por essa razão, não defenderei aqui a maneira séria com a qual tenho procurado editar este blog. Deixarei para os leitores a tarefa de analisar os fatos e formar seu juízo sobre quem está distorcendo a verdade. Também não serei deselegante ao ponto de xingar os autores da nota de levianos e irresponsáveis, pois disso os próprios fatos se encarregarão, da maneira mais justa e apropriada.

E para fechar, algumas perguntas: como se explica que uma nota em nome da Associação dos Militares e Amigos de Xapuri e da própria Polícia Militar no município seja publicada numa página pessoal de rede social e não no veículo tido como responsável pela divulgação das ações tanto da AMAX quanto da PM? É normal que uma instituição tão importante e tão séria se relacione dessa maneira com a opinião pública? A nota possui legitimidade e seu teor realmente representa o pensamento da instituição Polícia Militar?

Com a palavra o comando da PM em Xapuri.
Matéria de Raimari Cardoso
← Anterior Proxima → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário