segunda-feira, 30 de março de 2015

MATANÇA DE ÁRVORES



A imagem acima, postada por Haroldo Sarkis, assessor da prefeitura de Xapuri, em seu perfil no Facebook, denuncia um fato que tem sido recorrente na cidade considerada por muitos como o berço do ambientalismo acreano.
Os buracos abertos no tronco de uma das mangueiras centenárias que se localizam ao longo da rua Cel. Brandão, certamente com o fito de envenenar a árvore, lembram outros episódios parecidos, ocorridos sempre na calada da noite, sem que até hoje qualquer providência tenha sido tomada.
Quem não se lembra da figueira que sombreava a Casa de Chico Mendes, tombada como Patrimônio Histórico Nacional, ou do benjamin que se situava ao lado da banca de café da dona Maria, ali quase à entrada da agência do Basa?
Posteriormente, uma mangueira situada próximo ao Posto Português também foi vítima do “serial killer” de árvores de Xapuri. Neste último caso, a vítima definhou, suas folhas caíram, os frutos que ainda brotavam amarelaram doentiamente, mas terminou por resistir bravamente à tentativa de um injustificável crime ambiental.
A prática nefanda e covarde consiste em se perfurar o tronco da árvore com uma broca grossa o bastante para permitir que ali seja injetado o veneno.
O que - e quem - estaria por trás desses atos bestiais talvez encomendados por algum interesse escuso? A pergunta apenas será respondida depois que nossos órgãos ambientais resolverem investigar, identificar e denunciar os criminosos ao Ministério Público do Meio Ambiente.
O secretário municipal de Meio Ambiente e Turismo, Idalino Pedrosa Júnior, informou que um boletim de ocorrência foi registrado na Delegacia Geral de Polícia de Xapuri e que o fato foi informado também ao Instituto de Meio Ambiente do Acre (IMAC). Ainda segundo ele, a mangueira passou por um “tratamento”, que consistiu na limpeza da área afetada pelo veneno e na vedação dos três furos feitos no tronco da árvore.
Fonte: Blog Raimari Cardoso
← Anterior Proxima → Página inicial

0 comentários:

Postar um comentário