segunda-feira, 1 de outubro de 2012

“Negativismo e ibope”



“É mais fácil falar mal de uma pessoa do que falar bem dela” esse ditado  é muito utilizado e eu em particular ouço muito, é inaceitável e revoltante ver um mecanismo de comunicação nacional, conceituado veio até nossa região e nos expor ao ridículo mostrando o que há de ruim em qualquer lugar onde se possa procurar uma coisa ruim.
Não tenho tido muito tempo ultimamente para acompanhar essa série de matérias que a uol vem veiculando em seu site, até comecei a ler algumas más sou radicalmente contrário a textos infinitos na internet.
O que li e ouço a cada instante na cidade são pessoas  revoltadas, chateadas e esperando que alguém possa emitir alguma opinião sobre o assunto, e não que se tente implantar mais uma vez a impressão de que nós vivemos de forma miserável, e que venham pessoas como essas que passaram por Xapuri e levaram para todo o Brasil a imagem ruim  fazendo uma campanha negativa sobre nossa região amazônica e em especial nossa cidade Xapuri, cidade em que nós vivemos nossas vidas, crescemos, estudamos, criamos nossos filhos e fazemos planos para viver uma vida até o dia em que o papai do céu nos oportunizar a ficar por aqui.
Mostrar a cobertura do Ifac, uma das nossas maiores referencias na atualidade símbolo da educação, do conhecimento, onde mais de 800 jovens, adultos, ricos, pobres, fazendeiros e extrativistas têm a  oportunidade de cursar de forma igualitária um curso técnico, regular e superior e se fazer questão de mostrar e enfatizar um urubu no seu telhado esquecendo-se toda a grandiosidade educacional, cultural, da geração de empregos gerados ali naquela instituição.
Como diz o titulo dessa matéria “negativismo e ibope” que  retrata para mim uma das maneiras mais fácil de se garantir ibope em qualquer meio de comunicação no mundo,  fazendo criticas, falando mal, inferiorizando nosso povo do que procurar mostrar a vida de luta de um povo que lutou para ser Brasileiro e vive em uma das melhores regiões do planeta para se viver implantando um modelo de desenvolvimento e sustentabilidade com oportunidade tanto para o homem do campo quanto da cidade.

← Anterior Proxima → Página inicial

Um comentário:

  1. Verdade eu mesmo sou estudante do quarto período do curso de química. Raimari disse em seu blog porque o site UOL nao ouviram os estudantes do Ifac eles responderia com exatidão o momento em Xapuri, moro aqui a 3 anos nunca vi um conflito entre extrativista e pecuarista, até nesse momento de eleição está tudo calmo sereno e tranquilo.

    ResponderExcluir